sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Nus, coqueir-ais, a ponta do mar azul


Hojestudo um jeito
de desencontrar defeito
que porque aflito
tombo no seu peito.
Desrugar caminhos
a salvar encantos
encontrar as marcas
do que não foi, pranto.
Meus olhos estão ardendo
e em tudo, óculos, grau, grou.
Verificam-se distâncias
avaliam-se possibilidades
metrificam-se sorrisos
e nós, nus, na soleira da porta
prestes ao passo.
Posso?

2 comentários:

Fabiana Ferraresi disse...

Nus-ga-tãolinda foto!!!!!

Bê Sant Anna disse...

HAHAHAHA. Adorei, Fa. Bê ijo carinhoso!