segunda-feira, 22 de novembro de 2010

POW!


Foi como um soco!
O show do Paul McCartney foi tudo que sabemos que seria. Emocionante mesmo, uma porrada. O cara não mudou o mundo à toa. Deu pra chorar, pra rir, pra pular, pra dançar, pra viver a felicidade de estar ali, vivo, pra experimentar um Beatle ao vivo. Não tem muito o que dizer. Foi bom ter ouvido Blackbird tocada ali, assim, daquela maneira.
Ah, sei lá.
Sim, é lá onde sei que mora esse ídolo, esse mito, esse encanto que toca gerações, independente do chavão. Como diz meu amigo Ramiro Maia, "brigado cê-tê-vindo, Paul!"

Um comentário:

F. disse...

A cada comentário que escuto me arrependo profundamente de não ter ido!
Como diria um grande amigo: "Ai, que ódio!"