quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

nutreu


só nutro o que preciso
agora: só neutro
o que permeia, embora só
fonte que me faz da hora
somente
a luz que me devora

Sou grato.
Devo dizer do mar e do que voa, devo dizer do amor de uma pessoa.
Preciso urgentemente amar sem medida, sem sentido, sem saída.
Preciso, urgentemente.
Falo do sangue, do verso, da palavra.
Falo do tônus, do ônus, da estrada.
Falo falante,
que as falésias do mar testemunham o mergulho.
Orgulho.
Sinto-me medo, sinto-me cedo, sinto-me gato escaldado que brinca na tina.
Serpentina.
Sou gato, sou grato, sapato no ato.
E corro ainda, desejando.
Andodesejo
Desej-ando...

Nenhum comentário: