quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Adam, Cronos e Kairós




Adam, do Peru, conheceu Eve, da Argentina, há aproximadamente 30 anos. Por cartas.

Tudo bem, ele não se chama Adam, não é do Peru e ela não é da Argentina e nem se chama Eve.
Whatever. A história é real.

Durante 4 anos se corresponderam. Ele e Ela nunca se encontraram. Aos 17 Ele pediu Ela em casamento. Por cartas.
Claro, o mundo era menos globalizado, as distâncias eram distâncias. Uma cidade do interior de minas não era exatamente na rota dos aviões que saiam da américa latina. Ele nunca a conheceu. Ela nunca o encontrou. Fisicamente falando.
Será que casou? Será que é feliz? Será que ainda tem suas cartas? Ele guarda sua foto, a foto de sua família, as fotos de 30 anos atrás. As mais de 50 cartas...
Pergunto: Mas você não tem interesse em finalmente encontrar com ela? Saber como vive, quem é, como está? Nunca procurou por ela no Facebook?
Afinal, o mundo agora é tão pequeno...
Não, disse ele. Quero guardar a lembrança dela, a da moça de 17 anos.
...
Imagino Ela, eternamente com 17 anos. Cronos e Kairós brincam juntos no jardim da lembrança do meu novo amigo.
Há Tempo para o amor?
Cuidado amigo... O Tempo que brinca encontro num mundo tão grande, brinca num mundo pequenino.
É que o Tempo continua sendo menino. Enquanto quiser.

Nenhum comentário: