quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Ponto





cursor pula na tela

que palavra escrever?

nenhuma

cabe

todas

escorrem no papel eletrônico

cabe

nenhuma

nada vazio

inunda a gente

como no conto de luz do Garcia Marquez


não invento

a roda

vou

barulhinho de aro

tec tec tec tec

limpa o líxico

barulhinho polifônico

trago em meu silêncio

límbico


lâmbido

os méis soníferos

doces viagens

despertam sonhos

cá estou

cavou

não tem pressa de voltar


Deu-se

estrada infinita

fé se frases

crensentença

têxticamente

Folha Branca

envolve

tudos


Nenhum comentário: