quarta-feira, 6 de maio de 2015

Ontem e hoje, nossos caminhos.



Ontem fui ao coquetel de lançamento da exposição de fotografias do meu irmão mais velho, Daniel Mansur, com a curadoria especialíssima da bela Marcela Bartolomeo. 

Ontem, eu entrava em seu estúdio pela primeira vez, época de faculdade, e redescobria o olhar.

Tive muitos mestres em minha vida. Daniel Mansur foi um dos primeiros e mais marcantes. Sábio como poucos, me mostrou a importância da observação. A pesquisa escondida no olhar. A pergunta que se esconde no ver e a resposta que se revela no enxergar. WuWei.

Revelei sentidos, muitos, em seus ensinamentos de vida e de trabalho, de ética e de dedicação, de crença na imagem: na que está dentro e fora da câmera. Na nossa, na do outro, na que produzimos com o mundo que se desvela à nossa volta.

Meu primeiro "chefe". Meu primeiro tutor. Quem primeiro me falou sobre estética e a filosofia do Belo. Suas lições fundamentais sobre equilíbrio. Meu ponto de fuga nunca mais foi o mesmo.

Ontem, quando recebi o convite para o coquetel de abertura da exposição que merece mesmo ser vista gratuitamente no Ponteio, não imaginava que ao chegar lá minha surpresa seria ainda maior: a exposição se chamava CAMINHO.

Eu Peregrino agradeci a Deus por ter me dado a escolha de um irmão mais velho belo, equilibrado, sensível, artista e amoroso que se revelou em meu Caminho. 

Encontrei o verbo agir na imagem ensinada por Daniel. 

Ontem e hoje, Caminho de mãos dadas com o irmão, artista e fotógrafo Daniel Mansur. 

PS.: Não perca a exposição.





Nenhum comentário: