segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

O Desatino de Deus



Quando nascemos, Deus nos coloca no mundo com um destino: descobrir as três músicas que vão fazer parte de nossa vida, que vão contar em versos ou em melodia a nossa história, que irão fazer carnaval com nosso arquétipo, que virão definir nosso Caminho. Três apenas.

Quando nascemos, Deus nos coloca no mundo com um destino: descobrir as três pessoas que vão fazer parte de nossa vida, que vão contar em versos e transformar a nossa história, que irão fazer carnaval em nosso arquétipo, redefinindo Caminhos, colocando-nos à prova ou nos salvando, simplesmente, da total perdição.

Quando nascemos, Deus nos coloca no mundo com um destino: descobrir os três livros que vão ser parte em nossa vida, que traduzem em segredo os versos da nossa história, que são alegoria em prosa e verso do arquétipo que somos, pergaminho do nosso Caminho, testamento, epitáfio.

São três as músicas do meu destino. Três as pessoas do meu Caminho. Três os livros que me revelam em palavras.

Agora falta pouco.

Já descobri duas músicas, as ouvi.
Já conheci duas das três pessoas, as senti.
Já me fiz palavra em dois dos três livros que me contam sonhos.

Impossibiletradamentamalgamado.

Só falta uma a uma a uma. E todo universo particular pode se refazer partículas, átomos, vazios espaços cheios do eu que Deus definiu sozinho, nada multifacetado, picolé de chuchu sem palito, mosquito que ama, choro contido, sétima maior.

O tempo que resta em fatias é saboreado com café quente e amor em pedaços.





Nenhum comentário: