quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

falamar



preciso falar sobre muitas coisas, sobretudo das que ardem. preciso falar da pontuação, do baile, do vício, do medo, do simples e do complexo, do bem, do bom, do belo, do mau, do caminho e do meu pai. preciso falar da minha mãe. preciso falar da minha filha, da saudade dela, do meu analista que me aguarda voltar, da necessidade de falar e da necessidade de calar. preciso falar a respeito. preciso falar do galo, da madrugada, dos amantes, todos, nenhuns, alguns específicos e nenhum dos que você esperava. preciso falar do amor. preciso falar de amar, do sonho da paz, da paz de sonhar, do sonhador em paz, rapazsonhador. preciso falar baixo, sussurrar, messurrar, meamar. preciso cindir, preciso saber, saberincisivamente sobre o que dizer nossilêncio de nós. preciso falar sobre os pedidos de perdão, sobre as desculpas, sob as desculpas de quem de fora ouve qualquer discurso, fala, palavra. preciso palavra. precisavra. preciso, imprecisamente disso tudo e disse nada, disso nada, disse tudo. é que preciso. é que quando dá a hora da lua e ela vem nos sentidos todos dos mares das células, todo o corpo vira mar e mar é moto, move, muda, muta, mata de amar. há mar. e esse é o fundamento todo, ou quase, do que preciso falar.


Um comentário:

Ana disse...

Texto lindo, música linda, foto linda.
Há mar! <3