terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Cato-vento

Cata-vento

Dia primeiro de novembro de 2012, o livro V ENTE veio ventando. Foi bom escutar o sopro de quem foi porque comprou antes, de quem foi porque acredita em mim, de quem foi porque gosta de mim, de quem foi porque gosta da palavra, simplesmente, ou porque sabe o quão difícil é fazer arte, no bom sentido.

Só tenho tentado. E não só.


É muita gente que acredita, é muita gente amiga, é muita gente disposta a fazer a diferença, seja na minha vida, seja na vida do próximo, seja na vida do outro, que às vezes nem próximo está. É bonito ver, sentir, repartir, partilhar, compartilhar, dividir, somar. Bom ser parte de um verso que não é elaborado por mim apenas.
Um projeto como esse é feito de muitas mãos, de muitas mães, de muitos pais. Eu sou só ponte. Sou só ponto.
Quero acreditar e continuar acreditando.
Esse vento veio num abraço.
O vento abraça a gente, acredite. Tenha fé.

Foram mais de 150 pessoas no lançamento, até hoje, cerca de 400 livros vendidos, dezenas de e-mails, respostas verbais, várias matérias de jornais, revista, TV, mais de uma centena de abraços...

O vento num laço.
É Deus escrevendo a lápis, e desenhando no cantinho da página.

Sou eu papel, sentindo cosquinha de Deus.

Brindes, encontros, palavras, graças. Música, verdade, amor, saudade e tristeza. Alegria. Choro. Teve de um tudo trazido pelo vento de Deus.

Teve paixão que passou, segredo que revelou, agonia da espera, agonia da semente que rompe e expectativas de um novo amor.
Teve até dor.

Quinta-feira, essa, tem mais um pouquinho. Há mar, acima de tudo. E quem for na Livraria Mineiriana vai ganhar um abraço. Dos meus, dos que aprendi em Santiago de Compostela, quando o lado esquerdo do rosto é que se toca, pra que os corações fiquem alinhados. E em alguns casos, para sempre.

Quinta-feira
Dia 17 de janeiro de 2013
Re-lançamento do V ENTE
19:30h
Livraria Mineiriana
Rua Paraíba, 1419, Savassi



Vai e compra um V ENTE pra dar de presente.
Seu coração vai lhe agradecer, tenho certeza. Bom, eu vou.



Nenhum comentário: