domingo, 28 de outubro de 2012

Quero-Quera



Quer o mel do amor do seu olhar.
Quer sem cessar.
Quer querer, quer gostar.
Quer a alegria batendo na porta pelo lado de dentro, doida pra sair.
e ver as casas, e ver as ruas,
veros jardins.
Quer, de adubar.
Quer querer, de melar.
Quer de deixar roxo.
É que querer pode, e não depende da lua.
E nem depende do sonho, nem do pesadelo.
Nem nada.
É mais fácil ganhar asas antes de pular da ponte.
É mais fácil subir, que descer,
um monte.
Fácil é desistir, fácil entregar os pontos, fácil cair, chorar, ralar o joelho.
Fácil sorrir. Difícil é estar mesmo alegre.
Mas quer. Continua querendo.
Conte, nua, querendo, que eu acredito.




Nenhum comentário: