terça-feira, 8 de maio de 2012

Amor em pedaços


Amor em Pedaços ou Amor em Fatias?

Acho que é a primeira pergunta que vou fazer a Renata Feldman quando pegar o livro das suas mãos.

Renata Feldman é uma redatora de mão cheia, uma psicoterapeuta humanista que faz do seu olhar amoroso o espelho do mundo.

Conheci Renata há muitos anos e somos amigos desde então. Ela é uma amiga fiel, uma mãe de primeira, uma esposa dedicada, uma mulher de verdade. Sim, estou elogiando e não vejo porque termos pudor em falar bem de quem realmente merece. Renata é uma menina linda. Só consigo enxergá-la como menina, como a menina que conheci, antenada pras coisas e pras pessoas, pras relações, pro compromisso. Coisa de berço, acho. Não tive a oportunidade de conhecer seus pais, mas... sabe quando você vê que a figura teve berço? É... essa é a Renata.

Empolgada por natureza, nunca entendeu bem minhas escolhas, sempre me achou meio doidão, meio transgressor. Somos amigos complementares, nesse ponto. O curioso é que passo meus perrengues volta e meia e acabo em seu blog, pra "pedir conselhos" virtualmente... O equilibrio de Renata sempre me impressionou. E acho que ela passa isso pros seus textos com muita propriedade.

Recentemente, nos encontramos no espetáculo da Orquestra Sinfônica de Minas, acompanhando Wagner Tiso e Nana Caymme. Sempre desconfiei que esse equilíbrio amoroso de Renata esconde um desequilíbrio apaixonado pelas coisas todas. Não é à toa que se emocionou tanto com a versão que ouvimos de "Eu sei que vou te amar" e "Resposta ao tempo".

Acho que se Renata tivesse me pedido opinião sobre o nome do seu livro, eu teria dito a ela - muito por causa dessas minhas impressões sobre sua forma de ver e de sentir:

Ah, Rê, coloca "Lascas do Amor"...
E deixa o duplo sentido arder pra sempre igual a gente arde por dentro...

#ficaadica:
levanta daí e confere esse livro de uma pessoa magicamente comprometida com seu tempo e com seu sentimento.
Renata Feldman, sou capaz de apostar: esse livro vai mexer com a gente...
Até o lançamento! Vou ser o primeiro a chegar.
http://renatafeldman.blogspot.com.br/

3 comentários:

Marina Sepúlveda disse...

Nooosssaaaaa, meu amado Bê Sant'Anna e a minha mais do que querida, queridérrima!, Renata Feldmann, é muito para mim. Sucesso absoluto!!! Perfeitos!!!

Renata Feldman disse...

Bê querido, amigo, menino (também te verei assim, sempre),
O que dizer depois desse seu texto lindo? Como não sentir, como não chorar a emoção da beleza que carrega o seu olhar?
Você me conhece bem, sabe mesmo ler a minha alma. Isso é um privilégio que só as grandes amizades, essas que não envelhecem com o tempo, têm.
Nem sei como te agradecer tanto carinho.
Só sei que sou sua fã já faz tempo.
Um abraço carinhoso!

Bê Sant Anna disse...

Quem tem amigo tem tudo mesmo! :)
Eu que sou grato, Rê.