segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Eleva a dor




Enquanto Renata Feldman fala das Coisas da Idade no http://renatafeldman.blogspot.com/, vivencio algumas delas.
Vai outro fragmento de um papo de elevador, da semana passada.
...
Eu:
- Pô, mas sua neta fala bem português, pra quem nunca morou aqui... (a filha de uns 15 ri)
Avó:
- Mas é que na casa dela os pais só falam português.
Meu amigo Ramiro:
- Conheço uma pessoa assim, também. Fala perfeito porque dentro de casa os pais só falavam português. (a menininha de 3 anos assiste atenta e Ramiro pergunta pra ela) Você também vai pros Estados Unidos com a vovó?
Piquitita (brava): Eu não vou! Eu nem gosto do Mikey e da Mínnei!

É, amiga Renata. As coisas da idade tem seu tempo. E nós, que nem gostamos da Minnie, somos tantas vezes obrigados a ir ou não ir... ou "deixar ir", como no seu elevador ou no lá de casa...



2 comentários:

Renata Feldman disse...

Um dos exemplos que eu adorava dar em sala de aula, pra explicar função fática, era a tal da conversa de elevador:
- "Como tem chovido, né?"
- "Cada pingão..."
Adoro quando sobe, não só de andar, mas de nível da conversa, seja passando pela espontaneidade das crianças ou pela saudade dos mais velhos.
Abração, querido Bê!

Bê Sant Anna disse...

Falar nisso, tem estado quente, né? ;)
Bê ijos