domingo, 24 de julho de 2011

Enjoy? Enjôo.


Candinho procura a mãe.
No encontro com Pirulito, na praça, à noite, divide um sanduíche. Pirulito não quer voltar pra casa, seu pai bate nele. Candinho tem dinheiro, mas não quer alugar um quarto na pensão. Ele quer dormir na praça porque gosta do céu, das plantas. Ele sabe que muié entra na frente, ao passar na porta. Ele não sabe da internet. Ele sabe só do burro Policarpo.
Candinho, o mundo mudou. Não se divide o sanduíche, não importa se a muié entra na frente, ao passar na porta, Candinho.
Candinho procura a mãe.
Bem, Candinho, a mãe talvez não faça mais sentido no mundo de hoje. Quando você não for mais preto e branco, quando colorir, virar HD, for filmado em 3D, tiver a experiência interativa da cross media, ninguém mais vai se importar se você quer ou não achar sua mãe. As pessoas vão dizer, Candinho, que você está na era da informação. É mentira, Candinho. Não caia nessa. Só um ingênuo mais ingênuo que Pirulito continua achando que estamos na era da informação. Que a Comunicação dita as regras. Mentira, Candinho. É o Consumo quem manda. Essa é a era do Consumo. Mas como é feio, melhor colocar a máscara da Comunicação na frente do Consumo. É como achar que o negócio do Ricardo Eletro é eletrodoméstico. Não é. Nunca foi. Bom, talvez fosse, quando ele começou. Hoje seu negócio é empréstimo de dinheiro. E sua desculpa é eletrodoméstico. Isso é muito mais bonito. Ele deveria ser amigo do Lula e da Dilma e de muito político que acha que o número de eletrodoméstico em casa é índice de qualidade de vida. Não é cultura, não é escola, não é hospital, não é emprego melhor, não é formação, não é diminuição da violência, não é poder dormir na praça se quiser, sem ser queimado vivo. Quando for dormir na praça de novo, Candinho, dorme com um olho aberto.
Ah, e entra no Facebook, Candinho. Posta umas fotos do burro Policarpo, vira amigo do Pirulito, cutuca ele e, quem sabe, você consegue encontrar sua mãe?

*Mazzaropi e Benedito Corsi fizeram Candinho e Pirulito em "Candinho", criado em 1926.

3 comentários:

Carla Vergara disse...

meu querido bê, vi ontem encontros e desencontros. não é candinho, mas também combinou com seu texto. vc bê. escreve mais. continua. eu preciso. também quero encontrar a minha mãe. melhor, quero ser mãe. beijos

Bê Sant Anna disse...

Você é uma mãe maravilhosa e sabe disso, Carlota Joaquina. Bê ijo pro filhote e pra mamãe. Que o Rio Continue lindo!

joe disse...

Muito show o texto! Nao pare nunca de escrever be!