sexta-feira, 1 de abril de 2011

Não deu pra segurar, isso eu tenho que postar.

Opinião minha, ninguém precisa concordar:
achei o filme SEM LIMITES um absurdo.
Se eu fosse Procurador, ia entrar com uma ação, processo (desculpe, mas sei lá o nome jurídico que eles dão pra esse tipo de coisa, entendo de Direito como entendo de rugby) ou sei lá o quê, pra PROIBIR a veiculação.
SIM, acreditem. Tipo CENSURA mesmo, por mais bizarro que isso me pareça, inclusive... DETESTO esse tipo de censura, acho um absurdo, mas acho também que tudo tem (ou deveria ter) algum limite...
O filme SEM LIMITES é exatamente como o nome diz. É a maior apologia ao uso de drogas que eu já vi. Bem feito até os 5 ou 10 minutos finais. Aliás, vou contar o final pra avacalhar de uma vez, afinal, quero dar a minha contribuição pra diminuir o número de gente indo no filme. Quem quiser ver (porque é sucesso de bilheteria nos EUA) não leia o final dessa opinião:
1 - o cara se dá bem, ele não morre, não é assassinado, não se estrepa, não perde a família, não tem que vender a mãe pra comprar droga,... aliás, vira senador dos EUA, inclusive;
2 - ele, nojentamente e em cena, bebe sangue de um capanga que ele matou e que estava drogado pra receber a dose que ele precisava - lembrou o 127horas, que o cara corta o braço em cena pra chocar todos que assistem e causar um desconforto geral - o que já causou uma série de problemas pós exibição. Na estréia no Pátio Savassi, me disseram que 6 pessoas passaram mal assistindo o 127h. Ou seja, achei de um mal gosto terrível;
Bom, só vou falar isso. Acho que uma visitinha no CERSAM álcool e drogas e na clínica AMPARE seriam de muita valia pros jovens que assistirem a este filme. Acho que uma coisa é chamar a atenção para o tema, outra é fazer isso de forma bizarra. Aliás, o crack é um problema MUITO maior do que se pode imaginar...

Um comentário:

Teresa disse...

Oi Amigo Peregrino,
Que bom ler um comentario tão corajoso como o seu! Tambem ja estou cansada de filmes que fazem apologia de como as drogas såo algo legal de se usar. Só quem ja assistiu de perto alguem proximo de destruir com as drogas é que entende!
Um grande abraço.
I enjoy reading your blog
Teresa