sábado, 29 de janeiro de 2011

virol




Deitei e me senti mal.

Agora sei, o mundo dá voltas nele mesmo, às vezes a gente esquece.

Em Santiago aprendi a fazer o mundo girar embaixo dos meus pés.

Somos cavalo no mundo, nosso trote certo faz suar o pelo, faz domar a crina, faz sentir o vento.

Dentro.

Entro e sou mais feliz que láqui fora. Sou espora. Em mim, estrela que brilha e faz sangrar de paixão, de paixões.

Os peixes todos em meu pensamento e não me preocupo em respirar debaixo d'água. São coloridos, gordos, cardumes, reluzem sol quando passam e tento acompanhar com os olhos da mente.

Somente.

Fazer amor com você abre o portal dos desejos, ensejos domados, damados, danados, cilhados.

Bê ijo sua boca molhada e rachada. Chupo sabores. Olho nos olhos. E durmo amanhecendo um sonho de mãos dadas.