terça-feira, 31 de agosto de 2010

lança

Sa Ta Na Ma.
Mantra que, manto, Manjit me ensinou pra me cobrir no Caminho de Santiago.
Ele, mestre de Yoga.
In-cor-porei, de cor, nos poros, em cada grão da minha peleareia, macerada pelas pegadas, pelo Camino. Santo.
Sa-ta-na-ma...
Quão estupefato fiquei, ao descobrir o significado:
Infinito... Vida... Morte... Renascimento...
Muito próprio aos encontros e desencontros de infinita vida, morte e renascimento do Peregrino.
Digo mais dentramente, flormente, árduamente, rioverdadeiramente sobre isso no meu próximo livro.
Ele está 88% acabado.
Quando vou acabar?
Quem disse que ele acaba? Se ele acabasse, não seria um livro sobre o Camino.
Só ainda não sei quando vou lançar...



Obs.: acho que podemos combinar o seguinte... desconto de 50% no lançamento para Peregrinos e seguidores do Blog. Que tal?

domingo, 29 de agosto de 2010

você mesmo


manto de amor.
são onze horas da manhã.
onze horas, onze oras.
ouço os passarinhos todos do mundo, cantando, tantando.
voam em mim, gaiola aberta de sonhos.
lá, resolvi fazer meu ninho.
meu tiquinho.
o sol brilha folhas verdes e ela desdá a mão do namorado.
- nem quero mostrar pra ele que é meu namorado.
vôo pro Rio, vôo prum fio.
ouço a perereca que chia na caixa d'água.
tempo.
o vento balança o ser.
os passarinhos brigam na vasilhinha de alpiste.
e meu peito seca que o sol bate, evapora a poça d'amor.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

esperome


flores que vejo.

jardim de minh'alma.

na esperança, a dansa com s que Gimarães Rosa cultivava.

é espelho, é lago, narciso que bate à porta.

abraço no frio, em pé na calçada, pé lá, pé cá. 

sentimentos confusos que chacoalham o ser muito humano.

cisão, corte.

no espelho do seu olho me vejo, sou eu, sou desejo,

sou rasgo na roupa tirada na pressa de se entregar.

casulo de mim, aguardo.

e tardo na espera do seu caminhar.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

sobre rádio, desejo, medo ou paixão


Falta o Chico nessa foto. Amigo Chico Castilho, pai da linda terapeuta ocupacional que salvou meu ombro. Na foto, Serginho, Murilo Antunes, Brenda Ligia e euzinho.

Gostoso trabalhar com gente competente e atenciosa, com quem se pode confiar. Imagino que seja como o artilheiro que recebe a bola redonda na entrada da área sem marcação. Com essa equipe de rádio tem sido assim: campo bom, grama boa, bola nova. Brenda que me passa redondo, Brenda que espera livre na área. Os técnicos, experientes, cantam a melhor jogada. Os jogadores fazem sua tarefa conforme a direção: é gol. 

Tenho um tesão todo especial por áudio. Trabalho com isso há 19 anos e aprendo sempre. Eu costumava dizer aos meus alunos: pra escolher nosso trabalho, vale pensar se faríamos aquilo mesmo de graça. Daí, se faz com amor. Se faz com tesão. E tudo que a paixão leva, leva bem, na batida do peito da gente, independente do medo que se tem de tentar.

Outro dia, li num livro do Flávio Gikovate que paixão=amor+medo. Concordei com ele. Fiquei pensando quantas vezes eu perdi por não pensar assim, por não ter essa noção da paixão ligada ao amor e medo... O medo nos faz mais atentos. E de certo modo, fico pensando se no nosso trabalho não temos que ser apaixonados, ao invés de sermos apenas amorosos...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Talento e disposição


Texto vivo.
Palavras interpretadas.
Interpretanta coisa juntos que Marianna Martinez e Brenda Ligia se tornam novas amigas queridas. Pro Sempre.
Dominando a técnica, operando os sentidos, a branquinha e a moreninha emprestam seu talento pra campanha de Anastasia e Aécio, em Minas Gerais, nossos candidatos, nossa aposta verdadeira.
Eu assino em baixo.
Não aderi à campanha à toa. Tive a oportunidade de viajar pelo norte de Minas com a equipe do Minas Avança quando fiz uma campanha para o governo do estado e conferi que o que eu dizia era verdade: Minas avançou de fato. Eu vi. Ninguém me contou. Visitei escolas, vi novas ambulâncias, entrei em centros de saúde novos em pleno funcionamento, vi a nova hidrelétrica perto de Araçuaí, conversei com professoras, com alunos que receberam materiais escolares, conversei com caminhoneiros de verdade, rodei (bem) pelas MGs, as estradas estaduais de Minas. Bem cuidadas, ao contrário do que encontramos nas estradas federais...
O governo Aécio-Anastasia fez diferença positivamente, e digo isso, não porque estou acompanhando minhas duas novas amigas na apresentação da campanha, digo porque não só acredito. Digo porque sei. Porque vi. Sou testemunha.
É bom trabalhar pra quem acredita na gente. É bom trabalhar pra quem a gente acredita.
E, claro, poder conhecer duas beldades telentosas, competentes, divertidas e inteligentes faz toda a diferença.
Já parou pra pensar?: só por ter a oportunidade de poder conhecer pessoas novas, incríveis, a cada dia, a vida vale. É ou não é?
Bem-vindas, Mari e Brenda. Já temos boas histórias pra contar.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

A ponte da traição


Essa ponte foi um marco na arquitetura em nosso estado, me contou o brincante Adelsin, pai de Ravi, em meu colo na foto.
É assim. Quem leu "A Alma Imoral" sabe. Traição anda de mãos dadas com a Tradição. Palavras conhecidas, próximas, foneticamente, paradoxalmente unidas, ousadamente irmãs.Uma não viveu ao longo da história da humanidade sem a outra.
Foi assim com essa ponte. A traição do costume levou à construção daquilo que nunca tinha sido feito. No norte de minas, na cama do sertão, no rio Jequitinhonha: uma ponte que não era mais de madeira. O mesmo arquiteto que fez os conhecidos e belos arcos da ponte do Viaduto Santa Tereza, em Belo Horizonte. Repare na similaridade da técnica. Repare na alegria dos que estão na foto. Repare Ravi, lindo em meus braços na foto. Repare Adelsin, adulto criança que pai na foto e na vida, sabe de si, sabe do sim, sabe das pontes, da tradição e da traição.
Pena que traição seja uma palavra que carrega um lado negativo tão duro, tão cru, tão ruim, tão vasto, tão perdido, tão tão.
Interessante saber que fui comemorar meu aniversário na "ponte da traição".
Para quem se julga ponte na vida, isso faz passar vários pensamentos, sentimentos, pessoas, silêncios, imagens.
Sou grato por ter vivido para carregar Ravi em meu colo, me banhar nas águas de um rio limpo, ao lado do samurai das crianças, o Brincante Adelsin, dono de um trabalho e de um jeito de ser que orgulham São Francisco de Assis, os moradores de Curralinho e as crianças de todo o mundo...

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Minha mãe adora Roberto Carlos. E ela tem sua razão.

Como Vai Você
(Antônio Marcos/Mario Marcos)

Como vai você?
Eu preciso saber da sua vida
Peça alguém pra me contar sobre o seu dia
Anoiteceu e eu preciso só saber

Como vai você?
Que já modificou a minha vida
Razão da minha paz já esquecida
Nem sei se gosto mais de mim ou de você

Vem, que a sede de te amar me faz melhor
Eu quero amanhecer ao seu redor
Preciso tanto me fazer feliz

Vem, que o tempo pode afastar nós dois
Não deixe tanta vida pra depois
Eu só preciso saber
Como vai você

terça-feira, 10 de agosto de 2010

8 do 8




Ganha uma bússula no dia dos pais. Renova-se de esperança e sentidos. Agride os pijamas mal dormidos. Resume-se em casos mal contados. Aguarda uma chance do destino. Compreensão sem desatino. Revive as agruras do passado. Refaz-se caminhante sonhamor. Descobre-se em compasso com o incerto. Revela-se no erro seu acerto. Chora por alternar seu deshumor. Sofre ser pergunta sem resposta. Sabe-se incompreensão e dor. Reflete seu carinho e seu amor. Encara os desafios desmedidos. Batalha coração, que só temor. Mergulha nos em cantos do caminho. Lembra-se do aprendizado dito dado. Quer ligar atender, dizer que ama. Que ainda ama e pula a qualquer ponte. Que viagem, que mar, que sei, que oh! Que vida sem retrato é dor maior. Se planta e se rega, vaso de barro. Espera que o broto frutifique. E sabe que o Deus que rege insiste: só é estado, ser, estando tanto, dito, resumo, pranto, santo, humilde, humano, só, encanto.


quinta-feira, 5 de agosto de 2010

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Tomás

Mês oito.
Ontem sonhei com uma palavra que me fez medo. Não sabia seu significado. Acordei no meio da noite e fui olhar no dicionário. Atônito, quando descobri, me restou rezar o resto da noite. De manhã, encontrei uma citação de Tomás de Aquino que resolveu minha dor. Sobre a fé:

"Para alguém que tenha fé, nenhuma explicação é necessária.
Para aquele sem fé, nenhuma explicação é possível."
...