sábado, 12 de junho de 2010

para o céu


Arco Iris tras un día de inundaciones - diz o jornal embaixo do teclado do meu computador.

Não, não é um jornal do dia 12 de junho. É do dia 23 de outubro de 2009, dia dos namorados.

O verbo morar, que conjugado em namorados faz-se presente, deve ter papel de embrulho. Deve ter laço de fita, deve ter entusiasmo. Sim, entusiasmo, que vem de arrebatamento.
Entusiasmo é transar 3 vezes e querer mais. É enrosco de pernas, pele lambida, queixoroxo.

Entusiasmo é arrebêtamento, é lágrima que escorre, é riso incontido, são dedos que se entrelaçam. Entusiasmo é exagero do olhar, é fechar o olho pra lembrar, é lembrar de olho aberto olhando para o nada tudo que de nada vale.

Entusiasmo é quase entusiasno.

Arrebatamento que eu mereço, arrebestamente que me sacrifico.

Arrebostamente que tudo acaba.

Me acabo de ser poeta, me envocêsiasmo e me perco eu pra não mais me saber nós.

Me emaranhado de nós.

Arco Iris, flor do céu, que pede perdão pela tempestade louca: a água mata a sede do certo e do errado, traz a vida e leva e lava a des-graça.

Que leve só o prefixo. No dia de hoje, preciso muito muito muito de rir sem motivo... acho que vou ali olhar para o céu até que ele fique escuro de mim.

2 comentários:

Fabiana Ferraresi disse...

creo que conosco este cielo...

Bê Sant Anna disse...

eu sei, amiga... eu sei...