sábado, 22 de maio de 2010

lâmina


eu soul
alma de minha razão
fractal do desejo ardente
lodo limo
limbo da gente

ex tou
reverso do ser da palavra
silêncio que ocupa e mistura
espelho da sombra que vejo

velho
vejo e velo
velas içadas
salmão se debate
no asfalto da estrada
a sola dos pés descascada

um dois
bisturi que enfio no ouvido
gillette se corta
dedos e chama
no rio se vai
boiando a cama