sexta-feira, 16 de abril de 2010

resposta para "Resposta ao tempo"






Seu sem juízo acorda
a cada dia.
Seu sem juízo torna
a tina vazia.
Seduz, deduz,
o que cativa?
É luz,
é sol do meio dia.

Meu presente
assim espera
relógio do tempo,
Kairós de mim.
Chronos que chora tempo e demora
o travesseiro vazio do sim.

Há emoções que chacoalham.
Há presentes que se desembrulham.
Há um jeito de ser,
um jeito, ao descer,
do alto,
do conceito do ser.

Sim, estou acordado;
sou corda extendida,
arado,
terra mexida que brota semente:
sem querer.

Sem querer, ouso querer.
E retorno ao terno, Ruben Alves que amanhece em mim...

*É com muito respeito que coloco essas fotos, captadas por mim em Gorinchem, perto de Rotterdam. Não sei o nome, não sei quem são. Sei o que provocaram neste muito meu coração.
Sou grato por Deus, por meus olhos, pelo amor presente, presente, no mundo, do mundo, dos sentidos. Sonho com este casal, brilho com eles no sol e aqueço a expectativa de momentos como estes para mim, para você, para todos que lêem este post.
Quem não conhece, procure a versão de "Nana Caymmi de Resposta ao Tempo"...

5 comentários:

vento sul disse...

Lindo isso!!!

Carol Nogueira da Gama disse...

e depois de ler eu sigo cantando...
"qualquer pessoa soa...
toda pessoa boa soa bem..."
:-)

Bê Sant Anna disse...

Que jóias!
Grato pelos comentários!
Sobre o toda pessoa boa soa bem, Gil Luminoso sempre!!!
Minha irmã acabou de ir em seu novo show no Rio e diz que é um deslumbre! Ninguém pode perder!

Carla Vergara disse...

Pelas mãos da Carol, por nossa alma poética da junto caminha, chego aqui no seu blog e me surpreendo com este lindo poema. Salve a poesia!

Rachel Murta disse...

Ô, lindeza...
Quem não quer umdiaumamorassim?