segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Ter-me


Sabe-se lá quem vai ler isso.
Posso mandar mil recados. Escondidos, velados, partidos, ousados.
Posso escutar de mim os meus fardos.
Sei do meu gosto pelo simples, meus medesejos, sonhouvidos.
Sei de todos, corações partidos.
Ante ao mistério do ser, ter-me em mais mil movimentos, entre tantos lamentos.
Hoje rio com gosto. (Foi bom ouvir te ver mais cedo.)
Pre-ocupo-me com meu caminhar. Agora corro, agora morro, sei despertar.
Sou grato.
E o tempo que balança os humores sabe como acoitar.
Sim, sento. E o vejo chegar.

Nenhum comentário: