terça-feira, 17 de novembro de 2009

Tratado sobre o amor




o amor é
pedra de gelo
o meu sonho
balde de prata



4 comentários:

Anônimo disse...

Bê,
Só sei
do amor crescente
em mim.
De você diria errante
simples palpite assim...

"o amor:
é pedra de gelo o meu.
Sonho balde de prata"

Bê Sant Anna disse...

Boa! Instigar poeta dá nisso! Êba!

Renata disse...

O amor é efêmero.
Fênix astuta que quanto mais morre, renasce fortalecida.
O delicioso disso tudo é que sendo "pedra de gelo", o amor se derrete facilmente...

"Não quero me afogar. Quero beber tua àgua.
Não te negues, minha sede é clara"
Caio Fernando Abreu

Bê Sant Anna disse...

"Ou não", como diria o da Bahia. Hehehe.
Boa, Re! Valeu ter vindo e contribuído!