terça-feira, 28 de julho de 2009

ssssilêncio...


No mundo da palavra, no mundo imagético em que vivemos, o over tá presente. É tudo demais, é tudo muito, é tudo tanto. O capitalismo incita, a gente aceita. E quando quem dá as regras são os norte-americanos (pelo visto, por enquanto...), aí o negócio engrossa. É como aquele programa que eu acho ridículo: extreme makeover, reconstrução total. Tá, é legal fazer casa pra quem tá precisando. Mas eles tem que fazer A melhor, A maior, A mais bonita, A isso, A aquilo. Eles deviam mandar fazer um monte de "As" pra pregar nas testas deles... - porque não tô querendo ser radical hoje, eu teria dito algo bem mais grosso. O que conta é o conto de fadas ao extremo, hiperrealista, não a finalidade usada como desculpa. Se não, podiam fazer um programa aqui no Brasil, no nordeste, na Somália, sei lá onde... Mas o bom é ficar um monte de retardado que quer aparecer na televisão gritando desvairadamente enquanto os mais mais se exaltam e curtem o gozo. Aliás, eu não tenho nada que ver com isso. Eu mudo de canal, que não aguento esse excesso específico... O Luciano Hulk faz isso muito bem, sem deixar que o artifício, a forma, o próprio dispositivo suprima o conceito. Fica bom de ver.
Mas o que fez me lembrar isso foi o fato de gritarem quando deveriam sussurrar - já que estariam teóricamente falando de um ato de carinho, de amor, de ajuda ao próximo... E olha que estou malhando mesmo sendo publicitário, um comunicador que estuda as estratégias tantas de manipulação do dispositivo midiático...
Na verdade foi por isso que me lembrei: a Branca escreveu um post lindo no seu blog esses dias, que se chama Perto Longe (deve ter se lembrado do meu, com o mesmo título, de abril). Dizendo ela da necessidade que acabamos tendo em gritar com o outro, quando estamos aborrecidos ou irritados. E que quando estamos juntos por algum tipo de amor, acabamos por sussurrar um com o outro. Acho linda essa imagem que ela pintou no blog dos corações distantes gritando um pro outro e dos corações pertinho sussurrando... Acho que temos que tentar silenciar (diferente de calar) nossos corações. Talvez seja quando eles se tornam um...
No silêncio se encontra o maior mistério da comunicação.

imagem em: http://l.yimg.com/l/tv/us/img/site/07/02/0000050702_20080806173105.jpg

2 comentários:

rosascalidas disse...

cri cri cri (grilos)

Que irônico! Parece que neste post os corações resolveram ficar em silêncio.

Devem ter ficado realmente sem palavras, ou estão ainda aturdidos pelo impacto da mensagem.

Tem horas que só nos resta preservar o ssssssssilêncio.


PS: Desculpe tê-lo quebrado. Ssssssssssss

Bê Sant Anna disse...

Hehehe. Boa.